Como a tecnologia está criando novas oportunidades de trabalho para o mercado jurídico?

mercado-de-trabalho-para-advogados-conheca-as-oportunidades-810x509
Tempo de leitura: 3 Minutos

O Direito vêm se reinventando e termos como “Inteligência Artificial”, “Advogado 4.0” e “Big Data” começam a fazer parte do universo jurídico.

Com isso, a tecnologia cria novas oportunidades de trabalho para o mercado jurídico, com profissões que até alguns anos atrás não imaginávamos que poderiam existir. Assim como reafirma a pesquisa do IFTF: 85% dos trabalhos que existirão em 2030 ainda não foram inventados.

Isso significa que, os trabalhos como você conhece agora, apenas 15% deles permanecerão ativos e necessários.

Para os advogados, as novas competências para atuar em um mercado saturado começam com a gestão orientada a dados, passando pela tecnologia, novas soluções jurídicas para sua área de atuação e a atualização legislativa.

Neste cenário, a Data Lawyer buscou referências de profissionais que atuam em novas áreas do Direito. Convidamos o Gabriel Marconi, que, ainda graduando, já atua como assistente jurídico, ajudando na identificação e desenvolvimento de critérios que fornecem insumos para treino de modelos de Inteligência Artificial, para uma conversa.

Conheça um pouco mais deste profissional que buscou atuar “fora da curva” e enfrentar o mercado tecnológico:

Data Lawyer – Gabriel, como foi a escolha de cursar Direito?

Gabriel Marconi: Inicialmente, minha vontade não era cursar Direito. O curso me agradava, mas eu me identificava mais com os cursos de exatas. Ao término do ensino médio, alcancei o meu grande e batalhado sonho: a aprovação em engenharia elétrica na UnB. Mas acabei desistindo no penúltimo dia das inscrições, e a partir daí começa minha carreira no Direito.

Mesmo tendendo para o lado das ciências exatas, sempre me identifiquei com a leitura e a escrita. Ao longo do ensino médio, fui transposto para o universo instigante da leitura de obras clássicas da literatura distópica. Todas elas carregam nuances complexas de direito e ética, e os limites da intervenção estatal quando confrontados com o princípio da liberdade humana.

Associado à isto, me aventurei na leitura de obras de filosofia, percorrendo com esmero os grandes filósofos clássicos, e apliquei com determinação todos os conhecimentos interdisciplinares na ministração de aulas e no exercício contínuo de redações.

Ao perceber que a vontade de criticar e filosofar era viva em mim, considerei a graduação em Direito como adequada para os meus gostos e interesses.

Data Lawyer – Como foi sua experiência acadêmica e profissional durante a graduação?

Gabriel Marconi: De início, me identifiquei com a teoria do direito e suas matérias correlatas. Sempre acreditei que a dogmática jurídica era falha se não houvesse comunicação com as outras ciências. Ao longo da graduação, fui monitor de seis disciplinas na área propedêutica.

A proximidade com essas matéria me oportunizaram estagiar em um escritório de advocacia, tanto no manuseio de peças processuais quanto na produção de artigos de opinião para o blog e redes sociais do escritório.

Após essa rica experiência, fui indicado para estagiar realizando pesquisa empírica envolvendo Inteligência Artificial no Núcleo Central de Segurança e Inteligência (NCIS) da PGE-GO.

Por fim, aliando a minha trajetória de pesquisador e jurista, assumi o cargo de Assessor Jurídico na Data Lawyer no início do 10º período, e tenho me dedicado atualmente na identificação de critérios jurídicos para gerar insumos aptos a desenvolver modelos de Inteligência Artificial!

Data Lawyer – Qual a sua visão sobre as novas oportunidades de trabalho para o mercado jurídico com o avanço/ crescimento da tecnologia?

Gabriel Marconi: Vejo com bons olhos o crescimento exponencial da “era tecnológica do Direito”. Infelizmente, a sobrecarga do Poder Judiciário foi responsável pela criação de uma rotina frenética para o exercício da advocacia.

Naturalmente, a vivência jurídica se mostrou dependente da tecnologia para otimizar a solução dos litígios. As ferramentas de gestão são muito funcionais, e os modelos de Inteligência Artificial utilizados conseguem auxiliar em grande escala a rotina jurídica.

E ao contrário do que a pré-compreensão baseada no senso comum costuma afirmar, os dias dos advogados não estão contados! Sempre haverá espaço no mercado para os grandes profissionais, afinal, somos nós quem desenvolvemos o trabalho das máquinas, e sua função é apenas nos auxiliar e otimizar tarefas mecânicas e repetitivas.

Data Lawyer – Como foi assumir um cargo diferente do esperado para os jovens advogados? O que ajudou você a chegar até aqui?

Gabriel Marconi: Para mim foi uma experiência desafiadora, mas ao mesmo tempo confortável, pois trabalhar numa empresa de software jurídico me proporcionou a possibilidade de colocar em prática todo o conhecimento teórico acumulado durante a graduação.

Além do mais, a recente passagem pela PGE, trabalhando com pesquisa empírica, me ofereceu mais experiência para cumprir as demandas que o cargo exige.

Acredito que o interesse em me aprofundar na teoria do direito e em matérias não tão acessíveis para a maioria dos estudantes me ajudou a chegar onde estou.

Devido à sua complexidade e dificuldade, poucos se aventuram nessa jornada, mas aqueles que conseguem trilhar o árduo caminho desfrutam de muitas oportunidades, algumas até inimagináveis.

Data Lawyer – Por fim, quais dicas você dá para quem não pensa em advogar ao terminar a faculdade?

Que possam acompanhar as evoluções pelas quais o Direito passa (e continuará passando) ao longo do tempo, e, principalmente, dominar áreas interdisciplinares, tais como a economia, filosofia, sociologia, informática, física e outras.

Existe uma série de possibilidades de atuar na área do Direito, e os concursos públicos não são a única alternativa para quem não pretende advogar. A área acadêmica, apesar das dificuldades ocasionadas pelo contingenciamento de verbas, ainda é uma excelente possibilidade de atuação.

O que achou do tema?

Assim como a tecnologia trouxe a oportunidade de explorar uma nova área ao Gabriel, dá para perceber que é possível ser um advogado “fora da curva” e se arriscar em outras atividades! 😉

(Software Jurídico)

Juntamos experiência e inovação. Somos mais do que uma plataforma de Gestão Jurídica, somos um hub de tecnologia. Acreditamos em uma advocacia orientada a dados.

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Preencha os campos obrigatórios para enviar o comentário. (marcados com *)

dez − seis =