Quais os requisitos para ter eficiência na gestão jurídica? Descubra agora!

eficiencia-gestao-juridica
Tempo de leitura: 3 Minutos

O modelo tradicional de gestão jurídica nos escritórios mostrou-se bem sucedido por muitas gerações. Entretanto, a realidade atual do mercado se apresenta dentro de um novo cenário. Isso acontece porque a forma como os clientes se relacionam com seus fornecedores está mudando:

Muitos advogados e gestores jurídicos ainda não entenderam isso e são resistentes às mudanças. Mas, vale lembrar, que aquele ambiente no qual o advogado era o centro do comando em relação ao cliente, não mais existe. Em um escritório moderno, é preciso lidar com a diversidade da melhor forma.

Os escritórios e departamentos jurídicos que contam com um gestor jurídico, sofrem pelo acúmulo de duas funções: a do exercício da advocacia e da parte administrativa. Nesta sobrecarga é preciso aprender a conciliar essas atividades, sem prejudicar uma ou outra.

Essa é uma realidade para você? Mude agora mesmo sabendo como fazer uma gestão jurídica efetiva no seu escritório!

Os requisitos para uma boa gestão jurídica

Não existe fórmula mágica, mas sim dedicação e entusiasmo em mudar para melhor.

Mas o fato é que advogados não se formam empreendedores na faculdade e nem quando conquistam a carteira da OAB. Eles aprendem isso com a experiência, com os erros e, claro, com os acertos. E sobre isso você deve saber muito bem.

A gestão, e a melhor forma de gerir, também não é ensinado. Pensando nisso, listamos alguns comportamentos de gestores que darão aquela injeção de energia para aperfeiçoar ainda mais seu negócio jurídico!

A ideia é fornecer ferramentas para você já começar a colocar em prática assim que terminar de ler este artigo. Vamos às dicas?

1. Não tenha medo de delegar tarefas

Ao planejar o dia a dia, você acaba organizando, de certa forma, a gestão do seu escritório também. Nessa atividade organização é preciso resolver desde os honorários de um processo até as questões mais complexas.

Se a sua função fosse somente advogar, certamente a rotina seria menos estressante e mais interessante, e isso pode começar a acontecer quando você delega tarefas em seu escritório.

Leitura recomendada: Dicas para delegação de tarefas no escritório

2. Veja o seu escritório como um negócio

Você já deve ter ouvido, sobre a importância de pensar seu escritório como uma empresa, mesmo que a sua atuação seja individual.

E deve concordar que essa visão empreendedora na advocacia faz ainda mais sentido quando consideramos diversos fatores, como a concorrência, o mercado, a captação de clientes e outros mais.

Mas o que essa visão empreendedora agrega na sua gestão? É simples: ela ajuda no crescimento e na alta performance de todos os colaboradores.

Como eles se sentem motivados a pensar em melhorias, esse processo ajuda na identificação de pontos fortes e fracos da empresa e no surgimento de soluções que resolvam os problemas e desafios do dia a dia.

3. Trace objetivos alcançáveis e atue preventivamente

Ao estabelecer uma cultura empresarial voltada para advocacia moderna, o escritório deve avaliar constantemente seus resultados para se certificar de que seus objetivos estão sendo atingidos.

Para acompanhar as métricas do negócio de forma assertiva, é importante estabelecer indicadores-chave para mensurar campos específicos. Quando falamos em gestão jurídica, a métrica de produtividade é uma das mais importantes.

Sua maior missão é organizar o fluxo trabalho de forma assertiva para gerar resultados, certos?

Por isso, é indispensável que todas as atividades sejam registradas pela gestão. Para acompanhar a produtividade da sua equipe, você pode medir fatores como:

  • Quantidade de atividades executadas;
  • Tempo de realização das tarefas;
  • Qualidade da execução;
  • Desempenho da equipe jurídica e dos colaboradores;
  • Alcance das metas de produtividade.

Não se esqueça também de delinear e acompanhar a execução do seu planejamento estratégico, garantindo o engajamento da equipe e a atuação preventiva em caso de eventuais problemas inesperados. Ter objetivos bem definidos dará um norte a todos, pense nisso!

4. Foque no mapeamento das rotinas internas

O mapeamento de rotinas de um escritório se dá com base em diversos serviços e atividades: organização do trabalho mútuo, atendimento ao cliente, redação de petições, audiências, atividades administrativas, controle de prazos e andamentos processuais.

O gerenciamento desses processos traz uma segurança maior, um retrabalho menor e um ganho enorme de atividade. Esse mapeamento pode ser feito de diversas maneiras, um exemplo disso é o Workflow administrativo, muito usado em escritórios que buscam minimizar riscos e ineficiências.

Antes de participar de uma audiência, por exemplo, é preciso conhecer os autos, preparar as perguntas, obter as informações relevantes vindas do cliente. Ou seja, tudo é um procedimento.

Além disso, muitas obrigações administrativas também requerem atenção, a gestão é uma delas. Assim, a forma mais simples de conseguir esse objetivo é documentar os processos de trabalho.

Isso pode ser feito a partir de planilhas, agendas ou em um software jurídico, no qual o advogado consegue não apenas automatizar todas as suas tarefas, mas também garante a organização, entrega e eficiência.

5. Olhe para o futuro como uma oportunidade e não como uma dificuldade

A gestão jurídica vai, sim, ser transformada nos próximos anos. Delegar atividades, ter uma visão empreendedora, traçar metas e mapear as suas rotinas são processos que já recebem uma grande influência tecnológica.

Ao pensar na gestão de um escritório, investir em soluções modernas e atualizadas permite administrar o cotidiano profissional, tornando o escritório mais produtivo. Além dos compromissos profissionais, é possível organizar também seus apontamentos pessoais.

Olhe para esse sistema como uma oportunidade de planejar a rotina de todo o escritório, evitando que atividades se acumulem e prazos estourem. Facilitando outras tarefas do escritório também, como acesso a um banco de jurisprudência, as movimentações dos processos e suas distribuições.

Já que a mudança é inevitável, é preciso entender como as novas tecnologias podem contribuir para tornar o escritório mais produtivo, de forma que se compreenda e se relacione melhor com os seus colaboradores e clientes!

A gestão jurídica como complemento da advocacia é possível!

Não existe uma receita única de produtividade que se aplique à todas as empresas, ou uma receita de como fazer uma gestão jurídica sem falhas ou imprevistos. Cada empresa trabalha com uma realidade diferente, por isso, pense nas dicas e adapte para a sua realidade.

Se ao ler esse texto, você percebeu que poderia agir de outra maneira para ter uma gestão jurídica diferente, não se preocupe, compreender as falhas é o primeiro passo para corrigi-las.

A boa notícia, como você pôde observar, é que a tecnologia vem contribuindo e muito para que os escritórios de advocacia se tornem empresas mais produtivas e que os erros sejam cada vez menos significativos.

Como empreendedor que busca uma melhoria na gestão jurídica entre os seus colaboradores e clientes, aproveite os benefícios da tecnologia e crie um diferencial! Aproveite para baixar gratuitamente o nosso e-Book de técnicas avançadas para a gestão:

(Software Jurídico)

Juntamos experiência e inovação. Somos mais do que uma plataforma de Gestão Jurídica, somos um hub de tecnologia. Acreditamos em uma advocacia orientada a dados.

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Preencha os campos obrigatórios para enviar o comentário. (marcados com *)