Como produzir conteúdo eficaz para atrair clientes na advocacia?

guilherme-araujo
Tempo de leitura: 3 Minutos

Por Guilherme Araújo*

É inegável que os conteúdos que você produz (ou queira produzir) é uma das maiores forças de atrair clientes para o seu site, blog ou redes sociais.

Quando falo em conteúdos, pode ser em qualquer canal: redes sociais, blogs, Youtube e, até mesmo, opiniões em jornais impressos e on-line.

O problema é que muitos profissionais do mercado jurídico não acreditam na força da atração desses conteúdos.

Alguns acreditam que conteúdo não são para eles ou, inclusive, pensam que seja um método contra o código de ética da OAB.

Porém, o art. 5º do Provimento 94/2000 autoriza a publicação de conteúdos jurídicos em caráter informativo.

Então, se essa produção é um dos melhores meios para você atrair clientes, como produzir conteúdos assertivos e eficazes?

Conteúdo eficaz e memorável: texto + vídeo

Quai são os primeiros passos da produção de conteúdos jurídicos? Hoje, os materiais mais comuns são artigos e vídeos. Isso porque, em 2019, 80% do tráfego de internet do mundo foi em vídeos, afirma relatório da Cisco.

Por isso, separei alguns conselhos para produzir conteúdos escritos e, posteriormente, utilizar essa mesma estrutura como roteiro de vídeos, atraindo ainda mais clientes!

Vamos lá?

Definição da persona do seu escritório

Primeiro, defina o seu cliente ideal, também conhecido como persona.

A persona é um personagem semi-fictício, que representa o tipo de cliente que você gostaria que todo dia batesse em sua porta.

Portanto, inspire-se em casos reais para criar o seu cliente ideal.

Com essa definição, coloque-se no lugar da persona definida para fazer todo o conteúdo direcionado a ela.

A Rock Content, empresa especialista em marketing, possui um conteúdo completo sobre o assunto, clique aqui para ler.

E mais: você também pode criar a sua persona em poucos minutos, tendo os dados em mãos, com a ferramenta SuperPersona.

Persona criada? Não pare por aí! É hora de saber como alcançar seu cliente de verdade.

Busca de palavras-chaves que interessam à sua persona

Após o mapeamento da persona, antes de iniciar a produção dos artigos, é preciso saber o que eles estão procurando, quais conteúdos podem chamar sua atenção e quais palavras-chave ele pode procurar.

É, realmente, se colocar no lugar no seu cliente e “adivinhar” os seus pensamentos.

Então, pense em diversos termos possíveis que esse cliente ideal buscaria no Google.

Exemplo de pesquisa: cancelamento de leilão.

Por isso, faça pesquisas das melhores palavras-chave, de acordo com o seu nicho na advocacia e o volume de buscas mensais desses termos.

No início, direcione a produção para termos mais buscados. No futuro, é interessante produzir para termos menos buscados, pois serão temas mais assertivos.

Em seguida, crie um calendário de conteúdo baseado em palavras-chave, dê preferência àquelas de cauda longa.

Separei alguns conteúdos para que essa etapa seja facilitada:

Estruturando um excelente título

Não importa o quão incrível seja o post que escrever, se não escrever um título matador, ninguém vai acessar ou ler o restante do post.

Mas como criar títulos chamativos?

Para ter boas ideias procure por revistas ou mesmo em sites como Buzzfeed, e você verá que números, listas, perguntas etc, atraem e engajam muito mais.

Títulos que chamam a atenção começam com frases como: “x curiosidades sobre o assunto”, “quando é necessário”, “como fazer”.

Além de chamativo, inclua palavras-chave de cauda longa no título e/ou subtítulo de forma harmônica, não apenas da forma que encontrar nos sites de busca.

Por isso, faça ao menos 3 variações de títulos. Ao final, pergunte às pessoas da equipe qual elas acharam melhor, outras opiniões são sempre importantes.

Ainda assim está com dificuldades para criar títulos incríveis? A Rock Content, em parceria com a RD, disponibiliza gratuitamente a ferramenta Máquina de Títulos, um gerador de títulos inteligentes e instantâneo.

Etapas para a construção do conteúdo

Escrever para a web se assemelha aos textos comuns, é necessário introdução, desenvolvimento e conclusão. Porém, feito de forma diferenciada e com gatilhos mentais que mantenham seu futuro cliente “preso” até o final do conteúdo.

Vamos as etapas?

Introdução

A introdução é uma parte essencial do texto. É nela que o leitor decidirá se lerá, ou não, o restante do texto.

Trata-se de abordar, com menos palavras possíveis, o que será falado no texto e o que o leitor ganha ao ler o seu conteúdo.

Leia: Como fazer uma introdução impecável: o guia DEFINITIVO para seus textos!

Corpo do texto

Para o desenvolvimento, inclua subtítulos. Isso fará que o texto seja escaneável pelo leitor e pelos motores de busca, como o Google.

Se o leitor não conseguir escanear o texto a cada rolagem da página, é provável que ele entenda seu texto como um bloco cansativo de palavras.

Deixar o texto legível é o que chamamos de escaneabilidade. Aqui vão algumas dicas para isso:

  • Mantenha os parágrafos com no máximo 4 linhas (considere escrever de 20 a 30 palavras por parágrafo);
  • Nunca utilizar termos técnico-jurídicos e o português muito formal, busque alterar para sinônimos;
  • Nunca discorrer letra de lei, jurisprudência ou doutrina (exceto se tiver linguagem que possa ser entendida pela persona)
  • Evite o uso do n. de lei, de processo etc. Descrever “de acordo com a lei” ou“a Justiça entende que…” e insira o link do conteúdo completo.

Backlinks

Durante a escrita, além de links para outros posts internos, inclua em seu texto alguns links de outros sites.

Percebeu que indiquei diversos conteúdos precisos para você ao decorrer do texto? Isso é o que chamamos de estratégia de backlinks.

Fazendo isso, estará citando fontes e gerando mais credibilidade para seu texto.

Quando você insere links para outros sites/blogs, lisonjeia as pessoas responsáveis por ele, então, é possível receber um link de volta e gerar mais tráfego para os seus conteúdos

Obs.: caso seja um backlink importante, e não apenas a título de curiosidade ao seu leitor, certifique-se de elogiar e informar o responsável pelo site, enviando-o e-mail ou outra forma de contato, se possível, pedindo o compartilhamento.

Faça a conclusão

É essencial finalizar o texto com uma conclusão, resumindo o que foi falado no decorrer do texto.

O título desse parágrafo não precisa de muita criatividade. Caso queira, deixe apenas “conclusão”.

É interessante finalizar o seu texto com uma pergunta. Isso aumenta as chances de as pessoas deixarem comentários, além de reforçar a chamada para ação – os comentários aumentam o engajamento e isso é positivo para os motores de busca.

Em diversas pesquisas, muitos leitores leem a conclusão primeiro e, se acharem interessante, retornam ao início do texto para o ler completo.

Lembre-se: esse conteúdo será feito para atingir sua persona, por isso, a linguagem precisa ser a mais leve possível, sem “juridiquês” e sem palavras rebuscadas, mesmo ao final.

O que podemos concluir com todas essas dicas?

O marketing de conteúdo jurídico não é mais uma opção, é uma necessidade!

Antes, pensava-se que apenas as grandes bancas conseguiriam efetividade com as estratégias de marketing.

Hoje, com a ascensão e facilidade no acesso às diversas plataformas on-line, basta que você dedique algumas horas da semana e, assim, conseguirá excelentes resultados.

Realmente, após um conteúdo tão denso como este e, ainda, atrelada às demais atividades da sua advocacia, não é fácil produzir conteúdos.

Porém, tenha certeza: o seu esforço valerá muito a pena.

Contudo, não espere resultados imediatos, pois as estratégias de conteúdo têm potencial de retorno no médio e longo prazo.

Isto é, se aplicadas corretamente e seguir o roteiro que descrevi acima para você e, além disso, continuar estudando e aprofundando nas técnicas de marketing de conteúdo!

Agora, me diz: o que achou deste conteúdo? Tem alguma dúvida? Não deixe de comentar.

*Guilherme Araújo é advogado, graduado pela PUC Goiás, pós-graduando em Gestão Estratégica de Marketing pela HSM University. Hoje, atua na área de marketing como Legal Copywriter no João Domingos Advogados. Também, é membro voluntário no Instituto Goiano de Direito Digital – IGDD.

Guilherme Araújo é advogado, graduado pela PUC Goiás, pós-graduando em Gestão Estratégica de Marketing pela HSM University. Hoje, atua na área de marketing como Legal Copywriter no João Domingos Advogados. Também, é membro voluntário no Instituto Goiano de Direito Digital - IGDD.

7 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Preencha os campos obrigatórios para enviar o comentário. (marcados com *)

4 × dois =