Inteligência artificial e direito: como aproveitar o melhor dessa tendência

inteligencia-artificial-direito
Tempo de leitura: 4 Minutos

É fato que inteligência artificial e Direito não são dois temas muito relacionados, pois o setor jurídico começou a seguir as últimas tendências da transformação digital há pouco tempo.

Os advogados já foram considerados profissionais atrasados em relação à tecnologia. Isso porque a legislação não acompanha as mudanças no mundo e o poder público parece se apegar ao modelo tradicional de atuação.

Mas se você acha que é impossível unir inteligência artificial e Direito precisa entender o quanto essa junção pode trazer bons resultados para seu escritório, como a automatização de processos, informações qualificadas, além da vantagem competitiva sobre a concorrência.

Os resultados podem ser surpreendentes e, por isso, esse artigo vai te ajudar a entender como a inteligência artificial e direito podem trabalhar juntos para levar o seu escritório à um novo patamar. Confira!

Como a tecnologia está impactando a advocacia?

O Brasil é um dos países com um dos maiores volumes de processos do mundo. Segundo um boletim informativo do STJ, em 2018 foram julgados 412,4 mil processos, enquanto entre janeiro e março de 2019 mais de 80 mil processos foram analisados pela corte.

Embora esses números sejam altos, chegando a ser mais de 900 mil, eles não levam em conta a quantidade de processos abertos pelo resto do ano ou mesmo aqueles parados, esperando por análise. Com uma quantidade de ações tão grande, você deve ter percebido que é impossível resolver todos os processos judiciais sem ajuda da tecnologia, certo?

Para ajudar neste desafio surgiram diversas lawtechs, startups de tecnologia que trazem soluções para o mercado jurídico. Seus objetivos são simplificar processos, desburocratizar o Direito e automatizar trabalhos repetitivos.

É neste ponto que a inteligência artificial e direito podem se tornar aliados poderosos: os escritórios estão começando a aproveitar a capacidade do processamento de informações de ferramentas para atuar de forma estratégica em audiências.

Embora o setor público ainda não tenha entendido o quanto softwares podem ajudar na agilidade dos julgamentos é importante que você, empreendedor jurídico, esteja a um passo à frente na área, utilizando a tecnologia para ter resultados mais eficientes.

O McKinsey Global Institute, em uma pesquisa sobre o futuro do trabalho, estima que quase 25% do trabalho de um advogado pode ser automatizado, o que significa menos tarefas repetitivas, menos pilhas de papéis na mesa e mais tempo para produtividade.

Não é novidade que a tecnologia torna o mercado jurídico mais eficiente. Os advogados que acompanharem essa tendência serão os primeiros a colher os benefícios desta transformação. Isso porque, das 5 profissões com menor risco de automação, em 4º estão os advogados e juristas.

A união entre inteligência artificial e Direito ajuda advogados

Existem vários benefícios de unir a inteligência artificial e direito para potencializar seu escritório. Com a ajuda da tecnologia, pequenos escritórios podem competir com grandes de forma igualitária. Por isso, é importante se atentar sobre como é possível tirar proveito dessas tecnologias.

Revisão de documentos

A revisão de documentos para ações jurídicas envolve tarefas como procura por documentos ou e-mails específicos. A definição de parâmetros de pesquisa para revisão de registros usando AI melhora a velocidade, a precisão e eficiência da análise das documentações.

É uma forma de centralizar as informações: advogados usam softwares jurídicos para armazenar documentos, classificando-os por sua ordem de relevância para depois conseguir localizar, de forma ágil, o que está procurando.

Essa rapidez em achar documentos oferece muitas vantagens em relação à revisão manual de documentos, como:

  • Aproveitamento de amostras para localizar informações semelhantes;
  • Redução de informações irrelevantes para o advogado consultar;
  • Verificação quantitativa, de resultados já validados no mercado;
  • Mais agilidade e precisão que na revisão humana.

Análise de contratos

A análise de contratos demanda tempo, dinheiro e esforço de escritórios de advocacia.
Quanto mais clientes seu empreendimento possuir, mais cansativo essa análise se torna, pois a intenção é identificar riscos, obrigações financeiras e datas específicas – como prazos ou datas de transações – nos contratos.

Diariamente advogados revisam os contratos, fazem comentários, redigem e aconselham clientes sobre a possibilidade de aceitar negociações. E como esses contratos podem variar de simples a complexos, é importante realizar as análises com atenção.

É aqui que inteligência artificial e direito se unem novamente para ajudar o advogado: ela ajuda profissionais em tarefas corriqueiras.

Hoje já não é mais necessário preencher manualmente todos os contratos, afinal, já contamos com a assinatura digital e com sistemas que permitem a criação de um modelo de contrato. E assim, basta preencher as lacunas!

Previsão de resultados

Que advogado nunca recebeu a pergunta sobre a probabilidade de vitória de ações específicas? Essa é uma dúvida comum feita por clientes, que querem saber a possibilidade de retorno no investimento.

Advogados mais experientes geralmente são melhores em fazer previsões precisas, pois têm mais anos de vivência para avaliar e definir a opção adequada. No entanto, com o fluxo de demanda alto, fica difícil realizar as análises sem a ajuda da tecnologia.

E a AI pode ser uma grande aliada na identificação de tendência e previsibilidade dos resultados, pois é capaz de acessar mais informações, orientando advogados a tomar decisões mais eficientes.

Big Data

Uma ferramenta de big data jurídico consegue analisar e compreender um volume extenso de dados complexos que estão disponíveis em um escritório de advocacia. Ela se baseia, de forma mais específica, na coleta de dados para a realização de análises e extração de informações precisas para a atuação.

A partir desses dados, é feita uma interpretação e organização dessas informações para que advogados possam tomar decisões eficientes e benéficas em relação aos clientes, o que resulta em uma performance assertiva e com menos riscos.

Jurimetria

A jurimetria aplica métodos quantitativos, como estatística e probabilidade, no Direito, para esclarecer e fundamentar acontecimentos jurídicos.

Assim, por meio de softwares que utilizam mecanismos estatísticos e de probabilidade, é possível coletar dados sobre os elementos de um processo judicial ou de uma sentença de um determinado juiz. E, a partir daí, gerar o conhecimento, ou seja, analisar futuras tendências e indicar as melhores alternativas para solucionar o caso.

Com a jurimetria, é possível utilizar sempre informações precisas e, assim, trabalhar de maneira mais direcionada, com mais chances de obter sucesso para o seu cliente.

Como aproveitar as tendências no setor?

Para aproveitar as tendências do setor é importante acompanhar as novidades do mercado jurídico e procurar aplicar em seu escritório de advocacia todas as ferramentas que ajudem na sua atuação.

Nos próximos anos a inteligência artificial vai ser tornar tão necessária para empreendimentos jurídicos que pode ser que as lawtechs precisem trabalhar diretamente com os escritórios de advocacia.

É importante também se dedicar a entender todos os reflexos éticos que ocorrem entre inteligência artificial e direito. Estão até mesmo surgindo grupos, como a Associação Internacional de Inteligência Artificial e Direito, que promovem discussões sobre o assunto.

Afinal, a tecnologia já está se tornando rotina na vida de advogados. Só aqueles que souberem aproveitar essa oportunidade serão valorizados pelo mercado de trabalho.

Então, a IA é uma aliada ou uma ameaça?

Uma grande dúvida que os profissionais da área possuem é se a inteligência artificial veio apenas para simplificar processos no escritório ou se ela vai substituir os profissionais da área.

Na conferência Data and AI Forum, em Miami (EUA), o gerente da IBM, Rob Thomas, destacou o verdadeiro papel da inteligência artificial. “Não se trata de robôs dominando o mundo, mas se trata de predição de resultados, automação e otimização de tarefas simple”, disse o executivo.

Os advogados também não serão substituídos, como terão seu desempenho potencializado pela tecnologia.
Enquanto ferramentas de inteligência artificial serão mais eficientes para otimizar o fluxo de trabalho na advocacia, os advogados poderão atuar com mais qualidade para eliminar tarefas repetitivas, com acesso rápido e eficiente ao que for necessário para desenvolver ações.

A AI também impactará o poder público, que poderá ter a análise dispensada em casos simples, se tornando necessários apenas em contextos complexos ou contestações de resultados.

Por isso, o momento de começar a tratar a inteligência artificial como uma aliada é agora. Quanto mais rápido seu escritório entender isso, mais ele estará na frente da concorrência.

Inteligência Artificial não é o mesmo que automação

Um detalhe importante a ser entendido é o de que a automação jurídica é totalmente diferente da Inteligência Artificial. Enquanto a primeira se concentra em simplificar funções repetitivas e burocráticas, a segunda é capaz de aprender, raciocinar e até mesmo executar novas tarefas

Os sistemas automatizados já são uma realidade em muitos escritórios, organizando processos, realizando cadastros, montando agendas e gerindo processos. Porém, ainda não há o que chamamos de “raciocínio de máquina”, que acontece quando as ferramentas encontram novas soluções para escritórios, sem a necessidade de intervenção humana.

A automação para advogados possui vantagens como o aumento na produtividade, melhor qualificação das informações colhidas, melhorias no controle de processos, aumento da eficiência do time jurídico e redução de custos para o escritório.

O que podemos concluir?

Como todo o setor será influenciado pela transformação digital, podemos esperar um direito do futuro disruptivo. Por ser uma área ainda muito nova e que pode sofrer com alterações constantes, é difícil dizer exatamente o impacto da junção entre inteligência artificial e direito no mercado.

No entanto, não são poucas as iniciativas de escritórios que buscam explorar essa novidade e se destacar da concorrência, o que aumentaria a eficiência dos escritórios e simplificaria tarefas.

Assim, a democratização traz algo que é importante não somente para os escritórios de advocacia, mas também a sociedade: a democratização dos serviços jurídicos, o que pode ser uma grande oportunidade financeira de crescimento para seu escritório.

Além de tornar o serviço barato, a automatização de tarefas beneficia o atendimento do escritório, aumentando a satisfação do cliente.

(Software Jurídico)

Juntamos experiência e inovação. Somos mais do que uma plataforma de Gestão Jurídica, somos um hub de tecnologia. Acreditamos em uma advocacia orientada a dados.

0 Gostei
0 Não gostei

Deixe uma resposta

Preencha os campos obrigatórios para enviar o comentário. (marcados com *)