Plano de negócios para escritórios de advocacia: como fazer?

Plano-de-negócios-para-escritórios-de-advocacia

Todo empreendedor do meio jurídico sabe que gerenciar um escritório de advocacia de sucesso não é fácil. É preciso pensar em modos de se destacar da concorrência, crescer de forma sustentável no mercado, ganhar credibilidade, atrair e fidelizar clientes.

Olhando para todas essas necessidades, pode até parecer difícil administrá-las, mas saiba que tudo fica mais fácil se você elaborar um plano de negócios para seu escritório.

O maior problema de um empreendimento está na falta de planejamento. Sem um plano estruturado, a empresa terá dificuldades de enxergar suas metas e objetivos ou até mesmo não saberá como reagir em momentos de crise.

É importante que você, empreendedor, enxergue o seu escritório como um negócio. E assim como em qualquer outra empresa, deve se dedicar à construir uma boa estrutura empresarial.

O que é um Plano de Negócios?

Um plano de negócios para escritórios de advocacia pode ser definido como uma espécie de registro detalhado sobre as particularidades de uma empresa.

Neste documento, serão definidos itens como:

  • Modelo de negócio do escritório;
  • Proposta de valor ou o diferencial da empresa;
  • Dados sobre o seu nicho de mercado;
  • Metas e objetivos do negócio a curto, médio e longo prazo.

Um plano de negócios é interessante para seu escritório, pois ajuda a lidar com possíveis problemas antes que aconteçam, assim como ajuda a aproveitar boas oportunidades no mercado.

Por esse motivo, esse documento deve ser a base para qualquer tomada de decisão que envolva a empresa, devendo ser consultado constantemente e divulgado à equipe.

Como criar um plano de negócios para seu escritório?

Se você não é formado em gestão de empresas, a forma mais dinâmica de montar um plano de negócio para seu escritório de advocacia é pela criação de um roteiro em tópicos.

Em cada tópico, você pode estabelecer perguntas ou apontamentos que vão ajudar a estruturar o planejamento do seu escritório.

As perguntas devem ser respondidas de forma estratégica, pois elas irão te ajudar a planejar ações futuras de forma simples e objetiva.

Pronto para começar seu plano de negócios?

1. Identidade empresarial

Neste primeiro momento, você vai estruturar a identidade corporativa do seu escritório de advocacia. Nele, será definido o que é o seu negócio e como ele funcionará.

Para chegar a um resultado satisfatório, você pode estabelecer perguntas, como:

Qual a missão do seu escritório?

  • Qual é a visão do negócio a longo prazo?
  • Quais são os valores que rondam as ações da equipe?
  • Quais serão os preços dos honorários advocatícios?
  • Qual será o diferencial do negócio em vista dos concorrentes?
  • Em qual local seu escritório atenderá?
  • Quais serão os canais para atendimento?
  • Quais parcerias seu escritório pode fazer?

É importante determinar esses detalhes, pois você vai querer que seus clientes entendam o valor agregado na prestação de serviço.

A partir dessas respostas, você poderá estabelecer processos empresariais que estejam alinhados com seu modelo de negócio.

2. Análise de mercado

Após definir a identidade empresarial do seu escritório de advocacia, você precisará fazer uma análise do mercado e verificar a viabilidade do seu negócio.

Essa etapa pode ser dividida em dois campos: análise da concorrência e pesquisa do público-alvo.

Ao analisar os concorrentes, é importante identificar pelo menos três bom concorrentes da sua área de atuação, em sua região, e fazer as seguintes perguntas:

  • O que esses escritórios oferecem?
  • Onde estão localizados?
  • Quanto cobram por seus honorários?
  • Como eles conseguem clientes?
  • Qual é o seu nível de credibilidade profissional?
  • Quais são seus pontos fortes e fracos?

Essas perguntas já te trazem uma boa ideia de quem você enfrentará no mercado, além de trazer boas referências de atuação.

Já na pesquisa de clientes, você deve verificar se existem demandas suficientes na área de preferência do escritório.

Para fazer uma boa análise, essas perguntas são indicadas:

  • Meu escritório vai atender pessoas físicas, jurídicas ou ONGs?
  • Existe, nesta área de atuação, demandas suficientes para manter meu negócio?
  • Posso aumentar a quantidade de soluções oferecidas sem sobrecarregar minha equipe?
  • Quais estratégias de marketing vão atrair o público?
  • Quais são as maiores dores ou necessidades dos meus clientes?
  • Como posso atendê-las da melhor forma possível?

A partir dos resultados dessas análises, será possível identificar oportunidades de explorar o meio jurídico de forma assertiva.

Você pode até mesmo usar essas informações para adequar a identidade da sua empresa à demanda do mercado.

3. Recursos financeiros

Um ponto importante em um plano de negócios é a organização dos recursos financeiros da empresa. Dessa forma, é necessário definir o capital social do escritório, assim como estabelecer estratégias que manterão seu escritório funcionando.

Nesse planejamento financeiro empresarial será preciso estimar custos iniciais, despesas, receitas, capital de giro e fluxo de caixa. Nesta etapa, você pode responder às seguintes questões:

  • Quais serão os sócios do escritório? Quanto cada sócio vai investir?
  • Qual será o percentual de participação nas ações?
  • Quais serão os fornecedores?
  • Quanto a abertura da empresa custará?
  • Qual valor de capital de giro será necessário para os primeiros meses de funcionamento?
  • Qual será o regime tributário da sua empresa?
  • Quanto será investido em expansão, marketing jurídico, aquisição de materiais e contratação de capital humano?

É importante lembrar que, além de tudo isso, é necessário reservar uma quantia de emergência, para enfrentar situações de crise, queda no faturamento ou outros imprevistos.

4. Metas e Objetivos

Você sabe me dizer qual é a diferença entre meta e objetivo em uma organização?

Um objetivo é a definição do que o seu escritório de advocacia pretende alcançar. Já a meta é o estabelecimento dos termos quantitativos e o prazo para atingir o objetivo.

Se o objetivo do seu escritório de advocacia é obter lucro. A meta terá de vir acompanhada de dados sobre a quantidade do lucro desejado e em quanto tempo.

Exemplo:

  • Objetivo: Obter lucro no escritório.
  • Meta: Obter 30% de lucro no escritório em até três meses.

Perceba que objetivo se limita à definição do que é almejado enquanto a meta é mais específica e objetiva.

É recomendado que uma empresa tenha entre um à três objetivos e metas empresariais estabelecidas. Assim, a equipe consegue focar no que realmente é importante.

Para definir suas metas e objetivos, responda a estas perguntas:

  • Como resolver as principais necessidades do meu escritório?
  • Onde eu quero que ele chegue?
  • Em quanto tempo quero que isso seja realizado?
  • Como eu posso medir os resultados?

Lembre-se de definir metas específicas e atingíveis, em um prazo razoável, caso contrário, sua equipe ficará desmotivada.

5. Definição de táticas

Agora que você já tem as metas e objetivos estabelecidos, você precisa se fazer uma pergunta muito importante: como vou atingi-los?

Esse é o momento de dividir seu plano de negócios em vários planos específicos, como: plano de marketing, plano de prospecção de clientes, plano de operações, plano financeiro.

Você terá que montar processos da sua empresa de forma que ajudem o escritório de advocacia alcançar bons resultados. Você pode se perguntar aqui:

  • Quais táticas posso usar para cumprir esses objetivos?
  • Como posso implementá-las em minha empresa?
  • Quando vou executá-las?
  • Como vou mensurar resultados?
  • Se houver testes, por quanto tempo eles serão feitos?
  • Qual será a data de reavaliação do meu plano?

Responder essas perguntas já é um ótimo começo para a estruturação das melhores ações para alcançar o sucesso no meio jurídico.

Nunca esqueça que se algo não der certo ou se houver erros no processo, é completamente normal. Ao invés de se sentir frustrado, apenas mude para uma estratégia mais assertiva.

Conclusão

Montar um plano de negócios é um processo complexo, mas se você seguir esse roteiro, as coisas podem ficar mais fáceis para você.

Não se esqueça que um plano de negócio é uma ferramenta importante em todos os momentos da gestão do seu escritório de advocacia.

Por este motivo, deve ser revisado e constantemente atualizado, de acordo com as necessidades do empreendimento.

Muito além de apenas definir o que você precisa fazer para atingir o sucesso, o documento detalha os meios necessários para atingir os resultados desejados.

Quer saber mais sobre como fazer uma gestão de escritórios eficiente? Não deixe de conferir nossos materiais ricos!

(Software Jurídico)

Juntamos experiência e inovação. Somos mais do que uma plataforma de Gestão Jurídica, somos um hub de tecnologia. Acreditamos em uma advocacia orientada a dados.

0 I like it
0 I don't like it

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *