Tudo que você não sabe sobre direito do futuro e PRECISA saber

tendencias-direito-do-futuro

Inteligência artificial, Advocacia 4.0, Machine Learning, Big Data… Essas são palavras que rondam o imaginário do advogado e aparecem em diversas previsões para o direito do futuro.

Nos últimos anos, vimos o avanço tecnológico acelera a modernização do setor. Surgiram muitos softwares, criados e aprimorados com uma única determinação: melhorar e automatizar o dia a dia dos advogados.

Processos e peticionamentos eletrônicos, atendimento por canais rápidos de comunicação, surgimento de lawtechs, agendas eletrônicas, são exemplos de acontecimentos e ferramentas recentes que impactam no presente e ditam o futuro do advogado.

Essas novas ferramentas e, consequentemente, os dados trazidos por elas, geram insights valiosos para suas atividades, e é dessa maneira que as organizações estão migrando exponencialmente para um ambiente orientado por dados. E essa é só uma das inúmeras tendências que os escritórios já estão se especializando.

Para que você não fique para trás dos seus concorrentes, preparamos um compilado de tudo que você não sabe sobre direito do futuro, mas PRECISA saber!

As tendências do direito do futuro que impactam no seu presente

Muito se fala em “tendências do direito” relacionadas às novas tecnologias, mas como você pode colocá-las em prática no seu dia a dia?

Sabemos que em escritórios de pequeno e médio porte, trabalhar com novas tecnologias permite o crescimento e escalonamento das tarefas repetitivas e, consequentemente, confere mais rapidez e assertividade para a prestação de serviços. Dessa maneira, descobrir e entender quais tendências podem se aplicar às suas atividades, se torna, de fato, relevantes.

Com investimentos maiores em tecnologia, os escritórios começaram a entender que essa tendência veio para ficar e não há como fugir dela. Por isso, preparamos as principais tendências que você precisa conhecer. Não deixe de conferir!

O direito baseado em dados

A ciência de dados, também conhecida como “Data Science” é uma tendência aplicada ao direito com uma aposta grande de crescimento nos próximos anos.

É fato que o Direito passou por inúmeras mudanças, contudo, os maiores desafios da atualidade ainda estão na ampliação da sua eficácia e o aumento da produtividade. E isso só será possível de duas formas:

  1. Diminuição do tempo de resposta, sem abrir mão da qualidade;
  2. Uso de ferramentas que otimizam as atividades cotidianas.

Quantas informações escondidas nos milhares de processos podem auxiliar a melhorar as percepções e tomadas de decisões? A quantidade de leis, resoluções, portarias, documentos e processos que os profissionais do direito precisam lidar diariamente é incalculável.

E essa atmosfera demonstra a necessidade de uma visão mais apurada sobre dados, que podem ajudar nas tomadas de decisões. Dessa forma,os robôs fazem a parte de coleta de dados e o advogado fica por conta de interpretá-los e encontrar maneiras de melhorar o seu trabalho e tomar decisões mais assertivas, não baseadas apenas em achismos ou feeling.

O uso de ferramentas para isso é o que traz o diferencial. Por exemplo, você saberia me dizer hoje, de forma rápida, quantos processos você monitora, qual a probabilidade de perda e ganho e qual o status em que ele se encontra?

Dados como esses podem ser encontrados em um software para advogados, que faz a coleta a partir de informações que o advogado alimenta dentro do sistema de forma automática. O direito baseado em dados já é algo que pode, e deve, ser presente na sua rotina.

É preciso dar importância extrema para a segurança da informação e proteção de dados

Mais do que apenas uma estratégia, garantir a segurança das informações do seu escritório é essencial para a proteção de dados da sua empresa e para quem você presta serviços.

Quando bem aplicada, é capaz de blindar a empresa de ataques digitais, desastres tecnológicos ou falhas humanas.

O direito do futuro tem base no grande volume de compartilhamento de informações e a necessidade de confirmar que todas elas estão seguras.

E é neste contexto que legislações gerais sobre a proteção de dados, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), aprovada em 2018 com previsão de início em 2020.

O impacto dessa tendência no exercício da advocacia afeta inúmeras relações: às áreas de atuação do escritório; no tratamento de dados pessoais de clientes; dados de funcionários e dados da empresa dispostos em plataformas digitais.

Para isso, compreender profundamente a LGPD e o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GPDR) é uma tendência de grande importância neste ano, para qualquer um que se proponha a utilizar dados e compartilhá-los também!

Portanto, ganha cada vez mais destaque o compliance e o uso de ferramentas que se preocupam e estejam em conformidade com a Lei.

Um planejamento eficiente ajuda a diminuir riscos e consequências para empresas, como multas, vazamento de dados ou perda de prazos processuais que causem danos aos clientes.

Portanto, medidas como: mapeamento dos dados, medidas técnicas e administrativas de segurança, desenvolvimento de políticas de privacidade e de segurança, revisão de contratos e manutenção de registro das operações, passaram a ser de extrema necessidade ao se pensar no direito do futuro.

Legal Design: a personalização do serviço jurídico

A personalização do serviço jurídico aparece como tendência para o direito do futuro como uma prática do Legal Design, que busca a melhor solução para o cliente.

Parece confuso, mas não é!

Afinal, o que é o Legal Design? Ele integra técnicas que auxiliam na identificação do problema e nos possíveis caminhos para a solução. Isso é feito a partir de ferramentas modernas, customizáveis e com interfaces intuitivas, disponibilizadas em vários dispositivos de acesso.

O Legal Design não está necessariamente ligado à criação de um software ou um sistema moderno, mas, principalmente, na capacidade de tornar os termos técnicos mais acessíveis para os seus clientes.

As pessoas já se acostumaram a ter o contato direto com soluções tecnológicas, sem intermediários, de forma personalizada, interativa e intuitiva. A prestação de serviços no âmbito jurídico precisa compreender esse fenômeno e a importância dele para a experiência e fidelização do cliente.

O futuro da advocacia não poderia deixar de contar com um contato mais próximo, humanizado e personalizado.

A mudança cultural e a capacitação para o uso de ferramentas tecnológicas

Além de todas essas tendências, vale lembrar que utilizar ferramentas que integram os processos e atividades de uma empresa, necessita de capacitação e investimentos em educação corporativa, visto que muitos não as consideram como necessidade ou não entendem como isso pode ajudá-los.

No mesmo sentido da personalização de serviços, o relacionamento interpessoal e a cultura da empresa também é afetada pelo direito do futuro.

Isso envolve um novo modelo de trabalho, baseado no Mindset que cada indivíduo possui. Afinal, criar soluções tecnológicas sem a participação de quem entende e está envolvido diretamente com o problema não é a melhor opção.

Da mesma maneira, de nada adianta a aquisição de ferramentas avançadas, se não houver envolvimento da gestão e dos colaboradores como um todo. A preparação da equipe e a mudança cultural para as novas tecnologias é, sem dúvidas, uma grande tendência.

Os reflexos na cultura da empresa não estão ligados apenas a gestão e na utilização de soluções tecnológicas para ganho de produtividade, mas, mais uma vez, no uso de dados que demonstram com mais clareza uma determinada posição ou entendimento sobre o caso.

A capacitação dos profissionais de direito para o uso da tecnologia não é apenas essencial, mas conta como um grande diferencial.

Diante de tantas tendências, dados, ferramentas e automações, quanto mais o profissional compreender e se preparar para a integração, maior será o seu valor.

É hora de aprender e aplicar

As tendências citadas acimas fazem parte de uma série de mudanças que rondam a advocacia e elas não param por aí.

Assim como em diversos setores, os advogados terão grandes desafios com a tecnologia, mas ao mesmo tempo, têm em mãos uma capacidade ímpar de aproveitar essas tendências e gerar grandes mudanças.

Por muito tempo, simplesmente “conhecer a lei” era o único requisito para os advogados prestarem serviços jurídicos. Esses dias acabaram, e para se manter sempre por dentro dessas tendências, é preciso bastante estudo e uma aplicação certeira no seu escritório.

O direito do futuro vai ajudar o advogado a ter um papel integral em todas essas transformações, você está preparado?

(Software Jurídico)

Juntamos experiência e inovação. Somos mais do que uma plataforma de Gestão Jurídica, somos um hub de tecnologia. Acreditamos em uma advocacia orientada a dados.

0 I like it
0 I don't like it

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

cinco × 3 =